Home Governo de Portugal DGPC Home UNESCO
English Version

Rede dos Mosteiros

No Centro de Portugal, três grandes monumentos inscritos na Lista do Património Mundial da UNESCO estão hoje articulados entre si através da ROTA DOS MOSTEIROS PORTUGUESES PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE – o Mosteiro de Alcobaça, o Mosteiro da Batalha e o Convento de Cristo.

A ROTA DOS MOSTEIROS PORTUGUESES PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE constitui um projecto estruturante do IGESPAR, tendo como objectivo integrar a gestão de três importantes recursos culturais da zona Centro que se encontram sob a sua gestão, em articulação com o Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, procurando explorar as respectivas potencialidades para dar uma resposta cabal ao papel que o património hoje representa para a sociedade.

Conjuntos monumentais da maior importância histórica e arquitectónica, a nível nacional e internacional, inscrevem-se numa parte do território português privilegiado do ponto de vista paisagístico, articulando-se com outros pólos de interesse e atractividade importantes – o Santuário de Fátima e o Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros e ainda com um largo conjunto de património difuso, associado temática, histórica e geograficamente aos grandes monumentos.

Os três grandes temas-chave associados aos três grandes conjuntos monásticos – a ORDEM de CISTER (no Mosteiro de Alcobaça), os CAMPOS DE BATALHA (no Mosteiro da Batalha) e os TEMPLÁRIOS (no Convento de Cristo) são complementares entre si para a compreensão plena da génese e desenvolvimento daquele território e do país, sendo, por isso, explorados, em toda a sua diversidade, nesta ROTA.

Os DESCOBRIMENTOS PORTUGUESES complementam esta visão e, por esse motivo, o Mosteiro dos Jerónimos (Lisboa) está também associado a esta ROTA, no âmbito da programação cultural em rede nestes quatro monumentos, para os próximos anos.

Com esta finalidade o IGESPAR associou-se aos Municípios de Alcobaça, Batalha e Tomar na apresentação da candidatura designada Programa Estratégico - REDE DE CIDADES MOSTEIROS PORTUGUESES PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE ao Programa Operacional Regional Centro, Eixo dois, “Desenvolvimento das Cidades e dos Sistemas Urbanos” na área de intervenção designada por Política das Cidades – redes urbanas para a competitividade e inovação, como parceiro-beneficiário.

O Programa Estratégico apresenta seis Eixos-base (Identidade, Atractividade, Receptividade, Interactividade, Visibilidade, e Continuidade/Qualidade), subdividindo-se em nove Linhas de Intervenção (1.Qualificação dos espaços públicos simbólicos, 2.Promoção de eventos emblemáticos e animação das cidades como pólos culturais, 3.Vivificação do Património e Qualificação dos equipamentos culturais, 4.Criação de Roteiros de Visita e Interpretação do Território, 5.Recepção de Visitantes, 6.Qualificação dos Serviços Turísticos, 7.Plataforma digital turística da rede de cidades, 8.Marketing, promoção e comunicação, e 9.Missão Mosteiros de Portugal Património da Humanidade de cooperação inter-urbana.

Nesta candidatura o IGESPAR apresenta-se como parceiro líder de três tipos de projectos:
-Programação cultural anual das cidades em rede tendo como suporte físico os Mosteiros;
-Criação de programas de visita, produção de conteúdos de interpretação;
-Realização de encontros anuais científicos em cada Mosteiro, incidindo sobre a sua especificidade) inseridos em três das linhas de intervenção estratégica, aos quais se associaram, também, para além dos três Municípios promotores, a Câmara Municipal de Lisboa, a Direcção Geral das Artes e o Instituto dos Museus e da Conservação.

Complementarmente o IGESPAR candidatou, no âmbito do QREN, ao Programa Operacional Regional do Centro, Eixo Prioritário III, Consolidação e Qualificação dos espaços sub-regionais, Regulamento Específico-Património Cultural, o projecto “Rota dos Mosteiros Portugueses Património da Humanidade da Região Centro”, abrangendo os três grandes conjuntos monásticos – Mosteiro de Alcobaça, Convento de Cristo e Mosteiro da Batalha – prevendo acções físicas no âmbito da melhoria das condições de fruição e valorização, salvaguarda e preservação, prevenção de riscos e segurança, nos conjuntos e respectivas envolventes.

rss